terça-feira, março 27, 2007

E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos E por vezes

encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes

ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos copos encontramos

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se envolam tantos anos.

David Mourão-Ferreira

8 Comments:

Anonymous vidinha said...

Não conheço muito sobre David Mourão-Ferreeira, mas sem dúvida que vou passar a estar mais atenta. Como diriam na minha terra: "Gostei muito deste bocadinho".

12:42 da tarde  
Blogger Carlos Gil said...

... mais eu...

3:42 da tarde  
Blogger outro said...

Olá. Nos dias 19-20, 26-27 de Outubro e 02-03 de Novembro vai haver uma exposição de escultura, vídeo, design, fotografia, instalação e música na Taberna Toino da Cunha em Almeirim.

Mais info em:

http://expovariosaspectos.blogspot.com/
http://www.myspace.com/outrosaspectos

Divulga e aparece. Obrigado.

9:33 da tarde  
Blogger Luisa Hingá said...

Carlos vai ao blogueios e deixa um comentário no último artigo. Tu conheces a pessoa...e mais não digo por aqui.
Bjs

1:05 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Lindo!!!
Teresa

10:45 da tarde  
Blogger biazinha said...

E por vezes estamos em constante mutação...sempre!

Beijos.*_*

PS: Belo poema!
Não conheço David Mourão.

4:55 da tarde  
Blogger Violeta said...

Eis um dos meus poemas preferidos.
Obrigada

12:06 da manhã  
Blogger Violeta said...

vir aqui e encontrar o meu poema favorito é uma benção...

8:51 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home