terça-feira, março 06, 2007

dicionário

(entrada com bolinha, e mais do que uma)

Há vezes em que se cita sem 'cagar sentença' porque gostava-se de ouvir mais autoclismos a funcionar. Defeca-se a solo, entre opacas folhas de contraplacado escrevinhadas, fugindo ao pensamento de que só a orgia é escatalogicamente revolucionária. Assim sobrevivem os umbigos solitários, entre rolinhos cinzentos de cotão e bolinhas de sarro anarquista, democraticamente acumulados na matriz do ser-social: aqui os autoclismos funcionarão como chuveiros, é associação simples; a complicação vem da matéria fecal, e sua expelição que é o primeiro acto auto-masturbatório do corpo - o tal ao qual a puta-da-mão-que-cita está ligada, esclareço in fini e só ato mais duas pontas, fecho o dicionário e calo-me já: leia-se na diarreia citatória o sex-in-a-hole anónimo, busque-se no silêncio opinativo a mão deslizante no bolso das calças: temperado em forma clássica dá sempre uma mesa uma página bem arranjada, matéria-prima para uma cagada assim "grande p'ra baralhos"; a segunda tem a ver com a composição da matéria fecal: aí sempre ouvi dizer que somos o que comemos, a que junto que a citação será o seu visível e naturalíssimo cagalhão, cronical aerofagia à parte.
(imagem dum jogo chamada "enigma" daqui, e onde dele se conta assim, logo no primeiro parágrafo: "Enigma é um divertido e cativante jogo que mistura num único ambiente: quebra-cabeças, agilidade, memória e esperteza. Nele você controla uma bola preta e deve formar pares de pedras iguais para conseguir passar de nível. Seria tudo muito simples se você não tivesse que controlar a velocidade da bola, que é acelerada conforme o movimento do mouse e o tipo de terreno onde se encontra, desviar de pedras explosivas, lasers, labirintos e como se não bastasse, tudo isso inclui uma batalha contra o relógio"; depois vêm as regras, mas isso já é departamento de tintas de cada um)

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home