quarta-feira, janeiro 03, 2007

poema do telemóvel

Há tristeza na tua voz.
Senti.

Onde estão os pássaros, porquê o cinzento no céu?
Se o deus dos ventos amasse o verbo
como beija as folhas que caiem,
em cada um de janeiro e seguintes
na foto do calendário estaria o teu sorriso,
a dedilhar os dias
que vêm.

Senti. A tristeza e o Janeiro,
a voz e o tempo
a insónia.

Sorri quando telefonares
e o vento levará um beijo
à caixa de segredos do teu telemóvel.

1 Comments:

Blogger th said...

Como sempre tens o condom de fazer para todas e cada uma as tuas palavras. Cada mulher poderia ser a merecedora deste teu poema, cada uma se revendo nesta tristeza...th

12:15 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home