quarta-feira, setembro 13, 2006

metadona

Porque é que blogar fica por vezes tão difícil? não é falta de tempo nem de assunto pois há tantas meias-horas para coisas ridículas e bastará abrir um jornal ou um cantito da memória e eis tema, corte e costura.
Desinteresse, falta de motivação? por reserva de intimidade, súbito medo à exposição? desencanto, fastio de Internet? ou apenas porque hoje e ontem sinto-me mais parvo que o habitual? sei lá... o vazio arrasta-se, caracoleia, e estas quatro linhas não são para marcar o ponto: é mesmo desabafo que nem tapa buraco nem enche barriga, alma minha gentil que te partiste.
Até breve*: desejo, sem prometer mais que fé íntima na inevitabilidade da reincidência. Oxalá.
* este truque costuma funcionar: prevejo e já mentalmente escrevo mil e um posts que apaguem as linhas acima - é tradicional e eu não sou especial de corrida.

5 Comments:

Anonymous th said...

Não é para te envaideceres, nem para te sentires comprometido ou obrigado a nada, só para saberes que passo aqui todos os dias, qual fiel "comentadora de sofá".
Já agora deixo um beijo, th

8:21 da tarde  
Blogger Luh said...

e eu um abracinho

1:07 da manhã  
Blogger th said...

Outro...lol

3:52 da tarde  
Blogger Eufigénio said...

Vamos lá a ser mais esclarecedores: esse até breve é de que tamanho? dá talvez até dia 25 deste mês, ou é daqueles maiorzitos que se pode estender até idos de outubro. É que nestas coisas das despedidas, e falo naturalmente pela minha experiência, convém ser o mais objectivo possível.Já que o regresso é inevitável que pareça pelo menos coisa prevista e ponderada que sempre envergonha menos ... ah ah ah
aqui vai abraço de mais um do clube dos "até breve"

12:44 da manhã  
Blogger Carlos Gil said...

meninas, sou um verme: faço estas 'ameaças' ciclicamente só para angariar mais um beijinhos e uns abraços - e resulta.
Eufigénio: ainda este 'serão' compus mentalmente meia dúzias de recomeços. como estava a beber imperial preta e a ouvir música ao vivo, voaram todos afogados na batida (nos conjuntos de quem gosto sempre mais é do baterista: fico sempre com a ideia que é o que curte mais). Um dia destes calhará. Tão certo como Plutão estar-se nas tintas para em que divisão joga. É mesmo uma dose acumulada de fastio, e há que fazer uma desintoxicação, mesmo mínima pois abendo que está condenada à fustração. Estamos condenados a adslaturarmo-nos. E há as pitas, factor impossível de esquecer por obra e graça que se desejam eternas...

12:55 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home