terça-feira, setembro 19, 2006

Blogame Mucho e Apenas Mais Um en route

Pelos vistos não estou sozinho. Estamos, acrescento, pois de incompetentes e chicos-espertos informáticos está a blogosfera cheia.
Já lá vai p'raí um glorioso ano que arruinei insoluvelmente o 'template' dum certo blogue, forçando-me a saída de fininho e com sorriso amarelado, cor de cáca, airosa coisa que não tarda me apresto a fazer neste pois os sinais já estão aí: deixei de poder colocar fotos por obra e graça e birra do mesmo, a que por exclusão lógica restaram as letras que já se assomam como pré-defuntas, má cara. Enfim, coisas de mim, parece que mais duns tantos.
Mas, dizia, não estamos sozinhos. A irmandade dos nabos alarga-se, floresce em novos blogues à medida que os enfermos definham. Tanto parlapiê chorado para vos contar e avisar que o Blogame Mucho, esse momento prazenteiro da blogosfera, consumou o crime original do luso bloguista e matou o pai sem abdicar à herança: abandonou à estepe dos mortos-vivos o finado 'template' (sim! um blogue não morre se não assassinado! paira para todo o Além no limbo que se quis panteão antes do trambolhão, e arma-se em Fénix em novos ares, novos links, vitaminas A, B, C e D e as mais que por lá houver para rejuvenescer a coisa), e renasce revigorado e teso que nem bebé filho de transmontanos cruzados com algarvios... Ainda bem, é dos tais que faz e fará sempre falta, chavão mais que justificado pelo manual de boa escrita e melhor disposição que, o falecido, nos legou antes de lhe dar o triste pio. Melhor sina teve o Apenas Mais Um que, fazendo a habitual borrada no 'template', conseguiu deixar as ossadas visíveis embora com confessados problemas de transladação a benefício das futuras gerações de Eufigénios, coisa que, acredita-se, se resolverá sem ser necessário "matar o pai".
Falta mencionar os novos códigos postais: são este (Blogame Mucho), e este (Apenas Mais Um). E juízo com esses 'templates', já agora, diz o roto ao nu...

1 Comments:

Blogger Eufigénio said...

E que culpa temos nós? não bastava uma caneta com um aparo cheio de bytes para se escrever qualquer coisa por aí não? não, tinham de vir os templates e mais os htémeéles e links e url's e ... se uma folha de papel fosse assim tão cheia de tanta artimanha ainda hoje estaríamos todos as recitar o aeiou!
A minha solidariedade (sofrida) Carlos Gil

10:51 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home