terça-feira, abril 11, 2006

a novata


Apresento-vos a nova 'pita' cá da casa. Este rolinho de pêlo é a Tufas, faz dois meses de idade dia 15 e habita connosco a palhota há, digamos, duas horas e picos, tempo que dividiu entre correr atrás dos nossos pés, mijadelas e cagadelas qb, e a soneca em que está agora refastelada, encostada ao calor do corpo da defensora número um da sua presença, Webita Carla.
Resisti até onde pude, ou seja pouco... a história das reivindicações dum animal na casa já são antigas, os obstáculos foram repetidos, repetidos, ao ponto que já nem eu nem a Webina acreditávamos neles. Pelo final da tarde as Web's foram dar o seu mini-footing e passaram por uma loja de animais aqui próxima. Quando voltaram, estava eu sossegadinho da silva no meu canto em volta dum texto há muito prometido e que não pode ser mais adiado (uma peça de teatro), quando elas chegaram com as novidades, eu a ler a alegria e a esperança nos olhos da mais nova, uma centelha de gosto mal dissimulada nos da mais velhota... senti algo íntimo ceder e sem grande resistência deixei a Webita arrastar-me para a tal loja...
Antes e por cá, houve um hamster que numa manhã acordou excessivamente hirto, uma tartaruga que se chamava 'Mimi' e que cresceu além do esperado, e um peixito amarelo que nunca colheu grandes entusiasmos mútuos: ignoráva-nos na sua líquida altivez quando nos abeirávamos, e as nossas aproximações reduziram-se ao alimentá-lo, limpar-lhe o seu mundo, e nada de grandes intimidades. Um dia imitou o hamster e desapareceu. Estes ocasos também foram razões esgrimidas nas longas conversas familiares em volta dum hipotético cão ou gato em casa, mas que faleceram com a naturalidade do argumento de que nem todos os bichinhos são iguais na sua resistência. Assim seja com a 'Tufas', desejo-o e profundamente pois já estou seduzido pelo seu andar bamboleante, o seu focinhinho minúsculo, engraçado e terno, e derreto-me quando lhe pego (300 gramas? será à volta disso, é encantadoramente minúscula!) e sinto o tremer do seu corpo, a sua língua acariciando-me, os minúsculos dentitos brincando com o meu gigantesco dedo...
Ficou 'Tufas' por sugestão minha: quando saímos da loja, ela ao colo da Carla e eu carregado de sacos com pentes, colónias, bolas, bebedouro e comedouro, ração, fraldas (fraldas!!!), mais uma cama de cachorro, lembrei-a que haveria de dar-lhe nome. 'Pois é, que há-de ser, pai?'. E viemos até casa em volta dessa importante questão, eu sugeri primeiro que ficasse 'Allien' mas ainda bem que a miúda não gostou, e estava claro desde o princípio que nada de 'Fôfas' nem de 'Fifis' iria perturbar a afirmação da personalidade da futura dama-cachorra...: sabe-se como o nome é importante na defenição do carácter e personalidade, não é? então, zás: lembrei-me duma das personagens da peça, uma pitita meio estouvada e irreverente que crismei de 'Tufas'. E ficou 'Tufas', todos gostamos e só ela, a própria, é indiferente ao nome. Até agora. Não vale a pena chamá-la por isto ou aquilo, ouvir 'Dª Miquelina' ou 'Tufas' para ela é igual ao litro pois ao que ela reage, estamos a aprender, é ao movimento de pés. Pode estar sossegadinha ao nosso lado, nós a imaginá-la distraída ou até adormecida, que, se alguém sair de lá, lá vem ela a correr, o rabito a dar-a-dar, a enrolar-se nos nossos pés!
A aprendizagem não promete ser fácil. As fraldas: ignora-as e faz questão de deixar caganita ou mijadinha onde pode, lá vem balde e esfregona mais a tal colónia especial.... e limpa-se-lhe o rabo, coisa de luxo, tarefas a que espero que a caçula humana não se balde com os dias que virão, é tarefa que na próxima/primeira assembleia de crise por causa da 'Tufas' eu votarei que lhe fique adstrita em permanência, ela que foi a grande lutadora para que houvesse uma 'Tufas' ou outro qualquer cá em casa. Aliás, uma das razões que me ajudou a ceder foi o encantamento (que me assustou!) com outras espécies lá na loja, coisas tais como cobras, iguanas e, até, um escorpião!
Bemvinda Tufas, já és da 'família web' e, falando por mim mas bem certo que há voto unânime e qualificado, adoramos-te! és linda, divertida, amorosa, só é pena seres tão cagona e mijona!

3 Comments:

Blogger th said...

Um animal é essencial a uma criança, dizem, mas são os adultos quem sofre as consequencias...acho que é uma diabólica maneira de os adolescentes se vingarem de nós, que acabamos sempre por ceder.
Usa jornais para os chichis e cócós e para a castigar quando faz asneiras...nunca bater com as mãos, que são para acariciar...
usar palavras curtas e insistir até ela obedecer, fazer entender que quem é o dono são vcs...
NÃO TEM NADA QUE AGRADECER, OS CONSELHOS SÃO DE GRAÇA...lol
Beijos p'ós "fofos", os donos felizes da "Tufas"...th

11:01 da tarde  
Anonymous IO said...

Oh, pá, que giro, webito!!
Tens um cãozinho-menina!!, que saudades das minhas!!

faz-lhe uma festinha por mim!!

beijo ao dono (eu chamar-lhe-ia 'latita' lol),

uma que mudou de vida
http://chuinga3.blogs.sapo.pt/40491.html

1:03 da manhã  
Anonymous anamargens said...

Benvinda a estas bandas, à Tufas.
Coisinhas fofas que nos encantam.
:)

4:09 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home