sexta-feira, dezembro 29, 2006

dum vizinho

a tarde do romancista

tarde tensa em bicesse. o meu romance
encravou e não ata nem desata.
há quem me recomende que descanse
e deixe de escrever da pátria ingrata.

e fale doutras coisas, das que não
têm risco especial nem figurino,
mas pátria do romance é a paixão
e pátria da paixão é o destino

e é ele que comanda as personagens
e o seu desvario, o seu desnorte,
encontros, desencontros e viagens,
razão e sem razão e vida e morte.

tarde tensa em bicesse. mas os fados
por vezes dão enredos encravados.

Vasco Graça Moura, 'currente calamo'
"Poesia 2001-2005", Quetzal Editores

1 Comments:

Blogger gotaelbr said...

Aquele abraço C. Gil. Obrigado pela visita ao ForEver PEMBA e Bom Ano Novo para ti e todos os teus. Continuemos "teimosos" em 2007.

Jaime

1:29 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home